Táxi de Porto Alegre no caminho da tecnologia

Prefeitura de Porto Alegre que instalar o controle dos taxis da capital gaúcha por meio da biometria, o sindicato dos taxistas se colocou contra o projeto enviado a câmara municipal pelo prefeito.

Estará os taxistas de Porto Alegre indo contra a adoção da tecnologia. Crítica infundada, mas repetida pelos defensores dos aplicativos como Uber que vem favorecendo o transporte clandestino e ilegal através de carros particulares.

O presidente do sindicato dos taxistas argumenta que o passageiro “escolhe na palma da mão quem vai ser seu taxista”, se referindo aos aplicativos de chamada de táxi. Apesar de se contra a biometria, sindicato aprova as demais medias que a prefeitura quer implantar no sistema de táxi da cidade, medidas que visam a segurança do taxista e passageiros.

Confira a matéria completa abaixo.

#carloslaia #avozdotaxista

Prefeitura quer implantar biometria nos táxis de Porto Alegre

Corrida só começará a ser cobrada com a digital do motorista credenciado 

A Prefeitura de Porto Alegre enviou à Câmara de Vereadores projeto que prevê a implantação da biometria nos táxis de Porto Alegre. Pela proposta do prefeito Nelson Marchezan, o taxímetro só poderá ser acionado com a digital do motorista cadastrado junto à EPTC. Atualmente, são quatro mil táxis e 10 mil motoristas. De acordo com a prefeitura, a última revisão do sistema ocorreu em 2014.

O projeto também exige a realização de exame toxicológico pelos taxistas e permissionários (responsável pelo táxi) a cada seis meses em laboratório credenciado. O objetivo é identificar se houve consumo de drogas pelos profissionais. O resultado deverá ser apresentado à EPTC.

Um outro item do projeto é a instalação de câmeras dentro dos táxis. O equipamento, no entanto, será de uso opcional, sem áudio, e o carro deve conter um aviso externo sobre o uso do dispositivo.

O que diz o Sindicato dos Taxistas

Sobre a biometria, o presidente do Sindicato dos Taxistas de Porto Alegre (Sintáxi), Luiz Nozari, considera desnecessária.

— Hoje o passageiro escolhe na palma da mão quem vai ser o taxista. E mais, no nosso aplicativo, você pode “favoritar” o tipo de táxi. Isso, na verdade, não tem sentido — sustenta.

Já em relação ao exame toxicológico, Nozari avalia como positivo.

— Nós achamos que toda atitude para passar maior credibilidade, nós aprovamos. Hoje, fazemos negativas de crimes estaduais e federais. Vamos ver em que isso vai onerar a categoria — pondera.

No que diz respeito à instalação de câmeras, o presidente do Sintáxi considera indiferente.

— Somos favoráveis às câmeras. Quem quiser colocar, coloca. Mas com o aplicativo, isso já está resolvido. Autorizar podem. Obrigar é complicado — destaca.

Luiz Nozari reclama que não é recebido pelo prefeito.

— Quando ele era candidato, nos passou uma ideia muito boa. Disse que queria fazer do sistema de táxi de Porto Alegre o melhor do país. Mas quando assumiu, nunca mais nos recebeu — lamenta.

Os taxistas reclamam, principalmente, da concorrência, que consideram desleal, com os aplicativos de transporte de passageiros.

Carlos Laia

Taxista desde 2001, criador do site A Voz Do Taxista e da web Rádio Tera Byte. Nosso objetivo é levar notícias e informações sobre o táxi de todo Brasil a toda categoria, ouvindo representantes, autoridades e principalmente o taxista. Não temos vinculo com nenhuma entidade ou partido político.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios