Engenheiro da Uber se suicida e família culpa ambiente de trabalho

A Uber está sendo processada nos Estados Unidos sob a alegação de que sua cultura empresarial levou um funcionário a cometer suicídio em agosto do ano passado. O caso é o mais grave até agora em uma soma de revelações sobre o ambiente de trabalho proporcionado pela companhia, comandada por Travis Kalanick, que já viu seu nome envolvido em uma série de denúncias de assédio moral e sexual.

="adsbygoogle" style="display:block" data-ad-client="ca-pub-2309922433896559" data-ad-slot="9960967624" data-ad-format="auto">

A pessoa em questão é Joseph Thomas, um engenheiro que chegaria aos 34 anos na semana seguinte ao ocorrido. No dia fatídico, sua viúva, Zecole, voltava da escola, onde deixara os filhos, quando notou que o marido estava sentado dentro do carro parado na garagem. Foi só quando entrou para se sentar no banco do carona que ela notou o sangue: Joseph havia atirado em si próprio. A morte veio dois dias depois, no hospital.