Home / A Voz do Taxista / Mais uma cidade regulamentar Uber e prejudica táxi

Mais uma cidade regulamentar Uber e prejudica táxi

Uber se adequa às normas impostas pela prefeitura de São José dos Campos

Serviço de transporte privado por aplicativo agora foi regulamentado na cidade. Uber vai cobrar taxa de 1% nas corridas para repasse à gestão.

Uber, serviço de transporte privado por aplicativo, se adequou às normas impostas pela prefeitura de São José dos Campos para atuar na cidade. Após uma série de protestos e polêmicas, a empresa se adequou ao decreto feito pelo executivo em maio. Entre as mudanças para o usuário está a cobrança de 1% no valor da corrida, que é repassado aos cofres municipais.

O decreto foi elaborado após uma série de discussões entre a prefeitura e a empresa. Entre as exigências está que todos os motoristas sejam credenciados junto à empresa; que a Uber pagasse uma taxa de R$ 50 mil a gestão para cadastramento e repasse de taxa por corrida.

Segundo a prefeitura, a empresa se adequou às medidas e começou a trabalhar de forma regulamentada desde a terça-feira (27).

Antes da regulação, os motoristas que atuam pela empresa rodavam na cidade com uma liminar. A gestão Felício Ramuth (PSDB) recorreu e conseguiu derrubar a determinação da justiça. No início de maio, com o fim do benefício, a prefeitura chegou a recolher o carro de um motorista do Uber na rodoviária nova. O local virou o principal centro de disputa entre motoristas do aplicativo e taxistas.

A adequação, no entanto, trouxe um adicional na tarifa cobrada. Agora, ao pedir um veículo em São José dos Campos o usuário é avisado de uma cobrança de tarifa adicional chamada de “Regulação Municipal”. O valor, previsto no decreto, recolhe 1% no valor das corridas feitas na cidade que, no dia 5 de cada mês são repassadas ao executivo.

De acordo com a Uber, uma corrida do centro até o Jardim Satélite, por exemplo, que custaria em média R$ 13, sairia por R$ 13,13. Segundo a prefeitura, a taxa é “uma contribuição pela exploração do serviço na cidade”.

A prefeitura reafirma que vai fiscalizar a atuação e os motoristas flagrados operando pelo serviço sem cadastro junto à empresa terá a operação considerada clandestino e está sujeito a multa de R$ 1.544,85, além de apreensão do veículo.

Sobre Carlos Laia

Comandada por Carlos Laia , A Voz Do Taxista tem por objetivo levar a categoria dos taxistas informação, levantar o debate dos assuntos importantes para o desenvolvimento profissional de toda categoria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *