Home / UBER-Transporte Clandestino / Rota de fuga: cada vez mais funcionários buscam deixar o Uber

Rota de fuga: cada vez mais funcionários buscam deixar o Uber

Crises desmotivam empregados, que passam a questionar liderança da empresa

Travis Kalanick, CEO do Uber – Danish Sid Diqui / Reuters

 

Após o vazamento do vídeo de um bate-boca entre o CEO do Uber, Travis Kalanick, e um motorista da empresa, o posterior pedido de desculpas de Kalanick, e a acusação de assédio sexual por uma engenheira, funcionários começam a questionar a liderança da empresa e a duvidar de seu valor no mercado de ações.

 

Segundo Guillaume Champagne, presidente da SCGC Executive Search, o número de pessoas que querem deixar a empresa aumentou entre 5% e 10% na última semana. Para ele, esse aumento se refere principalmente às pessoas que, segundo ele, “não se adequam à cultura da empresa”.

— Para ser justo, as pessoas normalmente já sabem como é o universo da empresa quando escolhem entrar para o Uber. Elas sabem que esse é um ambiente predominantemente masculino, muito poderoso e com uma cultura de investidores — defendeu.

 

Para empregados da Uber, sair da empresa muitas vezes significa deixar para trás ações restritas ou opções de ações que valem centenas de milhares (senão milhões) de dólares na empresa privada, atualmente a mais valorizada do Vale do Silício — seu valor de mercado está na casa dos US$ 70 bilhões.

— Historicamente, foi muito difícil recrutar empregados da Uber, porque as pessoas não queriam deixar suas opções de ações para trás — disse Champagne. — Do ponto de vista puramente financeiro, o Uber precisaria tornar-se um lugar horrível para deixá-lo.

Apesar disso, de acordo com um recrutador que não quis se identificar, e que já trabalhou no Uber, o número de currículos não solicitados de antigos empregados da empresa deram um salto na semana passada, principalmente após a acusação de assédio e sexismo na companhia. Segundo ele, a empresa recebeu mais currículos de ex-funcionários do Uber em uma semana do que durante todo o mês anterior.

Fonte: O GLOBO

Sobre Carlos Laia

Comandada por Carlos Laia , A Voz Do Taxista tem por objetivo levar a categoria dos taxistas informação, levantar o debate dos assuntos importantes para o desenvolvimento profissional de toda categoria.

3 Comentários

  1. Notícia traduzida pelo Google Translator é foda. Erros de concordância a vontade

  2. Avaliação da Uber para mim é meia estrela!!! gostaria de ver a Uber quebrar!!!!! empresa robotizada!!!

  3. Podem investigar com serteza tem taxista envolvidos no meio essa rasa não vale nada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *