Estudante alega à polícia ter sido agredido por motorista do aplicativo Uber

Rapaz de 26 anos disse que recebeu socos e foi derrubado no chão após contestar o valor de R$ 30 cobrado pelo serviço

Um estudante de 26 anos registrou neste domingo (20) um Boletim de Ocorrência na Delegacia Participativa da Polícia Civil em que alega ter sido vítima de agressão supostamente praticada por um motorista do aplicativo Uber em Presidente Prudente.

De acordo com o registrou policial, a vítima informou que estava em uma festa em uma chácara na cidade e solicitou o serviço do motorista da Uber pelo aplicativo, que indicava o preço de R$ 10.

No entanto, após realizar o serviço e levar o passageiro até a residência dele, na Vila Comercial, o motorista cobrou R$ 30, valor que foi contestado pela vítima, segundo o BO.

O estudante contou que foi agredido com socos e derrubado no chão pelo motorista.

Além de registrar o caso como lesão corporal, a Polícia Civil requisitou o exame de corpo de delito para a vítima. O estudante também foi orientado sobre o prazo de seis meses para oferecer representação contra o motorista.

Saiba mais:

Aplicativos acaba com o costume de pegar taxi na rua

Motorista da 99 pede sexo a passageira

A delegada seccional da Polícia Civil em Presidente Prudente, Ieda Maria Cavalli de Aguiar Filgueiras, informou ao G1 que o caso será investigado pelo Núcleo Especial Criminal (Necrim).

Uber

A Uber manifestou-se nesta segunda-feira (21) por meio de nota sobre o caso registrado em Presidente Prudente e alegou que “considera inaceitável o uso de violência”.

“Esperamos que motoristas parceiros e usuários não se envolvam em brigas e discussões e que contatem imediatamente as autoridades policiais sempre que se sentirem ameaçados”, prosseguiu.

“A Uber permanece sempre à disposição para colaborar com as autoridades no curso de investigações, nos termos da lei. Vale lembrar que nenhuma viagem na Uber é anônima e este tipo de comportamento, se confirmado, pode levar ao desligamento da plataforma”, concluiu a nota.

G1

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios